Seguidores

terça-feira, 25 de setembro de 2012

O SOL DE CADA COISA (BATISTA DE LIMA)




Batista de Lima é,  na concepção de Schiller, um  ''poeta sentimental'', pois, ''pratica uma poesia de caráter reflexivo, filosoficamente comprometida com seus próprios meios de expressão e realização''. Neste novo livro, sobretudo, ele filosofa, silencia, perscruta, recorda, celebra, faz declarações de amor. brinca com as palavras, seduze-as, apascenta-as e confirma seu nome na poesia cearense contemporânea. Suas múltiplas vozes e não apenas domam os relâmpagos, mas acendem as luzes intemporais do sol invisível de cada coisa e abrem portas para celebrar a vida! 

Prefácio de 'O Sol de Cada Coisa' 
Aíla Sampaio
Professora, escritora e  poetisa. 


                            Foto: Margleice Pimenta 
O sol de cada coisa 

Há um sol
que se esconde
em cada coisa 

Há um sol
que se anuncia 
antes do sol 

Sol e sal 
sangram poesia 
pelos poros do poema 

Batista de Lima (In: O SOL DE CADA COISA, 2008)

Postar um comentário